Como solidificar um pensamento e transformá-lo em primeiro beijo. Parte III CONTOS

Você estava esperando por este momento, não é mesmo? Esta é a terceira parte de um texto que, apesar de ser um conto, é baseado em fatos reais! E se aconteceu algo assim comigo, o que te impede de sonhar e fazer os seus pedidos ao universo?

E se você ainda não leu as duas primeiras partes, corre lá! Aqui estão os links do primeiro e do segundo texto. É só clicar e o texto abrirá em uma nova aba ou janela, não se preocupe!

Está preparado? Ok, vamos lá então!

 

Lembro, como se fosse hoje, que ele vestia uma camisa preta, uma calça jeans e um tênis preto. Ele estava lá, curtindo com os amigos, mais parecendo que estava sozinho, pois eu só conseguia ver ele. Como você pode imaginar, eu gelei, né? Não sabia o que fazer, nem o que pensar. E ele nem me notou! Nem fiquei muito perto pra não ficar na cara que eu estava a fim. Observava, com o canto dos olhos, cada movimento. Tentava, com muito esforço, fazer leitura labial do que ele dizia. Entendi nada. Que droga.

Toda aquela confiança que eu tinha – pelo menos na minha cabeça – estava indo por água abaixo. Aí me veio o seguinte pensamento:  “com tantas meninas lindas aqui na festa, por que raios eu imaginei que ele olharia pra mim?”. Comecei a desanimar e cheguei a cogitar a possibilidade de considerar tudo aquilo um devaneio de fim de semana e focar em quem eu gostava há mais de um ano: o Vinícius. Uma hora a minha mente e coração iriam digerir, compreender essa decisão e tudo voltaria a ser como antes. Mas será que é possível decidir assim, tão fácil, quando o que se quer é exatamente o oposto?

Minha prima não fazia ideia de que eu gostava do Pierre. Achei melhor assim. Talvez ela quisesse ajudar, falaria alguma coisa e eu morreria de vergonha. Visualizei tudo isso um segundo antes de querer contar para ela sobre meu novo amor. Mas se nada desse certo, ninguém iria lembrar e eu não me sentiria tão idiota por gostar de alguém inatingível . Não demorou muito, as meninas quiseram sair dali onde nós estávamos e ir para a pista onde tocava música eletrônica e outras músicas para dançar. De repente, as músicas que tocavam no rádio – que faziam eu me perder em pensamentos – começaram a tocar ali também. Uma a uma.

Me dei conta de uma coisa: eu não sabia dançar! Tá certo que dançar, à maneira de cada um, nos permite dizer que todo mundo nasce sabendo. Mas dançar aquelas músicas não estava nos meus planos nas festas intermináveis que eu imaginei naquela semana. O conselho da Ana valeu ouro: “Olha como as outras meninas estão dançando e faz igual, não tem erro!” Fui me sentindo melhor. Sem me dar conta, eu estava pensando e agindo como a garota que eu era nos meus pensamentos. Estava mais confiante e, de repente, parecia que a festa imaginada estava se materializando. E realmente estava. Quando olhei para o lado, quem eu vejo chegando na pista?

Num outro momento qualquer, eu provavelmente tropeçaria, trocaria as pernas, torceria o pé. Mas não. Naquela hora, eu estava me sentindo tão bem, tão confiante, que estava sequer copiando as outras meninas. Me arrisco a dizer que estava até improvisando alguns passos sozinha.

Para minha maior surpresa – mas não para o meu subconsciente, que estava conectado àquela realidade que eu mesma criei – o Pierre se aproxima do nosso grupinho junto com um amigo.

Eu mal olhava para ele. Não queria demonstrar que estava apaixonada. Então fechei os olhos e me concentrei na música que estava tocando. Aproveitando o momento, por assim dizer. Aqueles pensamentos que habitaram minha mente nos dias anteriores continuavam ali, tão fortes, que eu conseguia sentir tudo acontecendo, de acordo com o imaginado. De repente, eu abri os olhos e vi que metade das pessoas que estavam ali haviam saído, inclusive o amigo dele. Por que ele continuou ali então? Me dei conta de que a Ana também não estava mais ali. Talvez ela tivesse ido até o balcão comprar alguma coisa, sei lá. A única coisa que passava pela minha cabeça era que nós dois ali, dançando, estávamos cada vez mais próximos um do outro e longe de todos os nossos amigos.

 

PLAYLIST DO POST (Você também pode escutar tudo junto no Grooveshark):

Beautiful – Snoop Dogg feat. Pharrell Williams & Uncle Charlie Wilson

Ms. Jackson – OutKast

All I Have – Jennifer Lopez feat. LL Cool J

Clocks – Coldplay

In da Club – 50 Cent

Crazy in Love – Beyoncé feat. Jay-Z

Numb – Linkin Park

Frontin’ – Pharrell Williams feat. Jay-Z

Seven Nation Army – The White Stripes

Move Your Feet – Junior Senior

Stuck – Stacie Orrico

Miss Independent – Kelly Clarkson

No Letting Go – Wayne Wonder

Rock Wit U (Awww Baby) – Ashanti

Where is the Love? – Black Eyed Peas


Danina

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>