Dia de Rock – Parte I EVENTOS / MÚSICA

Nessa época em que está acontecendo o trigésimo aniversário do Rock in Rio, achei que era a hora certa para falar de shows, festivais e outras experiências musicais e dar dicas de como aproveitar ao máximo cada segundo. Eu sei que venho prometendo isso há algum tempo, então acho que já está mais do que na hora de dividir isso com vocês. Quando eu era criança, e mesmo adolescente, nem imaginava que esse universo da música era algo tão mágico, tão especial, nos mais diferentes aspectos. Aprendemos coisas e vivemos coisas que levaremos para o resto de nossas vidas.

A minha primeira experiência com música foi em um evento realizado na cidade onde eu moro, Canela/RS, no ano de 1998. O evento se chamava Expo Música e trazia grandes novidades de gravadoras e shows de artistas de várias partes do país. Eu era uma criança de nove anos de idade e o que eu mais lembro, além de ter comprado com a minha irmã o CD especial de Natal dos irmãos Hanson, foi o show do cantor Chico César, da Sandra de Sá e da dupla mais querida, brilhante e engraçada que eu já presenciei nos palcos, Tangos e Tragédias. Lembro, como se fosse há duas semanas, dos shows e, especialmente, das batidas de um atabaque que havia no palco. O ritmo e a vibração que aquele palco emanava despertou algo dentro de mim de uma forma que não consigo explicar. Quem diria que, onze anos depois, estaria eu embarcando em um avião rumo ao primeiro show internacional que eu assistiria na vida?

 

AC/DC no Morumbi

O show da banda australiana AC/DC no estádio do Morumbi, em São Paulo, foi o primeiro show que eu fui e eu nem havia me programado com meses e meses de antecedência. Na verdade, a minha mãe sempre foi muito zelosa (pra não dizer neurótica) e complicava até quando íamos com a escola para a capital, Porto Alegre, para fazer alguma saída de campo, visita à Bienal de Arte ou coisa assim. Ela dizia que cidade grande era coisa perigosa. Sendo assim, eu nunca cogitei (até então) a possibilidade de ir a algum show por lá.

Até que, em um dia inesperado, minha irmã veio me fazer a proposta de irmos no show da banda AC/DC em São Paulo. Eu não conseguia acreditar! Cheguei até a perguntar pra ela se ela tinha certeza do que ela estava falando. Eu já tinha dezenove anos na época mas, mesmo assim, minha mãe gostava de dar palpite em tudo (até hoje ela faz isso, mas deixa quieto!). Como a minha irmã é seis anos mais velha do que eu, quando eu faço qualquer coisa na companhia dela, minha mãe dá a bênção. Além disso, iríamos na companhia de nossos namorados e mais um casal de amigos dela. Eu iria completar um ano de namoro no dia do show, então ia ser perfeito!

O ingresso que a minha irmã comprou para nós era o mais caro do estádio, mas não era o mais perto do palco. Ficamos nas cadeiras na lateral superior do palco. A visibilidade do local era muito boa (mas não quanto a pista, hehehe).

Nós fomos de avião de Porto Alegre para São Paulo e ficamos em um hotel barato e legalzinho, no bairro Jardins. No dia do show, pegamos um táxi. Ah, quando está acontecendo um show grande em uma cidade, possivelmente mais pessoas que estão hospedadas no mesmo hotel irão ao show, então dá pra dividir o valor do táxi numa boa!

Como nós achávamos que não era permitido o uso de câmeras, levamos uma analógica para o caso de não deixarem ela passar (sim, coisas barradas na entrada vão pro lixo). Na verdade dava pra levar câmeras compactas sim, a gente é que não sabia. O ruim é que o filme queimou e não temos nenhum registro fotográfico nosso do show. Mas não tem como esquecer! O show foi demais! O que nos alegrou foi que logo depois saiu um DVD com o show da mesma turnê, Black Ice World Tour, que aconteceu na Argentina.

Não era permitido levar comidas para o estádio. Mas como eu sou uma pessoa cafona do interior, coloquei umas barrinhas de cereal dentro dos tênis. Na hora de comer, elas estavam quentes, moles e completamente amassadas. E no estádio tinha muita coisa pra comer (o que confirma a minha cafonice)! Tinha desde hambúrgueres e cachorros-quentes até salgadinhos, doces e várias bebidas. Mas acabou tudo muuuito rápido. Quando acabou o show, eu estava completamente sem voz e louca por um refrigerante de guaraná. Nem consegui ir atrás de algo para beber porque o pessoal estava saindo do estádio e a gente tinha de se apressar se quisesse tentar pegar um táxi, ônibus, carona na caçamba de um caminhão ou qualquer coisa do tipo.

Era óbvio que, com aquela avalanche de gente saindo de lá, tivemos de caminhar muito, muito mesmo. Tentamos pegar qualquer ônibus, que levasse pra qualquer lugar onde a gente pudesse achar um táxi, mas estavam todos lotados. Quando finalmente embarcamos em um ônibus, ele nos deixou numa rua escura sem movimento algum. Tivemos de torcer para que aparecesse um táxi logo. O que aconteceu! Só que ele não queria levar todo mundo porque estávamos em seis pessoas. Tivemos de chorar muito pro taxista levar todo mundo, porque naquela hora e naquela rua, deixar duas ou três pessoas sozinhas não daria um bom resultado.

Vamos às dicas!

rock-1-passagens

Na hora de comprar passagens de avião, tente fazer isso com bastante antecedência. Por quê? Porque o esquema dos preços das passagens funciona assim: os primeiros assentos são vendidos a preços promocionais pra dar uma lotada. Quando eles chegam a um número razoável de pessoas, sobem o preço. Isso acontece conforme a data do vôo se aproxima, mas também quando aquela primeira cota já foi toda vendida, então não se baseie somente pela dada. Quando a companhia aérea já consegue “custear o vôo” e ter lucros, não estarão contando com o preenchimento dos últimos assentos como uma necessidade para a empresa. E, somando ao fato que passagens compradas de última hora significam que você realmente precisa embarcar naquele vôo, o que também podemos chamar de “desespero”, a companhia vai cobrar bem caro por esse peso extra. Ou seja, o seu.

Na hora de fazer a pesquisa de passagens, seja flexível na data. Nos campos de busca, coloque datas com a diferença de dez dias, uma semana, um mês. Eu acredito que quando você procura muitas vezes passagens para a mesma data, fica gravado no site e o preço vai aparecendo cada vez maior para que você compre logo e pare de enrolar. Por isso, eu procurava passagens usando o meu computador e o meu celular, simultaneamente. Ah, e no modo privado, para garantir.

Os melhores dias da semana para procurar passagens de avião, de acordo com as experiências que tive, são nas quartas-feiras e nos sábados bem cedo, tipo seis da manhã mesmo! Achei uma passagem muito barata num sábado de manhã e esperei até o meio dia e o preço da passagem havia subido. Quase arranquei todos os fios de cabelo da minha cabeça!

Quanto ao local de compra, já comprei por esses sites que pesquisam resultados de todas as companhias aéreas. Mas é bom ficar atento. Anote o horário exato do vôo e, se possível, o número do vôo e vá até o site da companhia aérea para comparar preços. Tente simular a compra, sabe por quê? Porque às vezes o preço da passagem aparece mais barato nesses sites de busca, mas quando você efetua a compra, o valor das taxas pode superar ao valor no site da companhia aérea e você acaba pagando muito mais do que se tivesse comprado direto da empresa.

Outra coisa para prestar atenção: o local onde você irá pousar. No caso de São Paulo, há dois aeroportos, o de Guarulhos e Congonhas. As passagens para Guarulhos são sempre mais baratas e mais disponíveis, justamente porque é longe de tudo! Veja se a companhia aérea que você escolheu oferece transfer gratuito de um aeroporto a outro. Caso contrário, a passagem de uma empresa especializada nesse tipo de transporte, chamada Airport Bus Service, custa cerca de R$40,00 por pessoa. A viagem de um aeroporto a outro dura entre cinquenta minutos e uma hora, dependendo do trânsito. Leve esses valores em consideração. Na hora de fazer a pesquisa do site, use a opção “todos os aeroportos”, porque talvez você ache uma passagem em que a ida é para um aeroporto e a volta é do outro.

 

rock-1-hotel

Faça pesquisas de hotéis perto do local onde você precisa ir (nesse caso, perto de onde será o show que você vai). Eu fiz isso no próprio Google Maps. Digite o endereço do show e, logo abaixo irá aparecer a opção de pesquisar hotéis e restaurantes na mesma área. Às vezes você escolhe um hotel que fica um pouquinho mais longe, mas é mais barato e, mesmo pegando táxi ou trem, o preço compensa. Na última vez em que fui à São Paulo, o show era na Barra Funda e eu fiquei hospedada na Av. São João, no Centro. O hotel em que eu me hospedei era mais longe do que o hotel que ficava mais perto do local do show mas, em compensação, ele era bem mais barato e eu só precisava caminhar um pouco até a estação de trem e, duas paradas depois, eu desci a uma quadra de distância do show. Valeu muito mais a pena.

Esses dois hotéis a que me referi são os hotéis Ibis, da rede Accor. Eles têm diferentes linhas de hotéis dentro da mesma rede. Tem a linha Budget, que é a mais barata; A linha Styles, que é um pouquinho mais cara, mas tem uma decoração muito divertida (e outros extras, como travesseiro relaxante etc.); e a linha Ibis tradicional, que é mais cara mas tem outros propósitos, como salões para reuniões e outras coisas mais voltadas para o mundo executivo. As duas vezes em que eu me hospedei nessa rede de hotéis, escolhi a linha Budget, porque eu não precisava de muita coisa, só um lugar para dormir e tomar banho. Os quartos são bastante funcionais, acomodando até três pessoas. Tem televisão no quarto, Internet e café da manhã. Pra quem está interessado em ir a um show e se divertir, não precisa de muita coisa mesmo, né? É claro que também existe camping, dormir na casa de algum conhecido, não dormir… mas isso fica para os próximos posts.

 

rock-1-transporte

Há sites que calculam a média de quanto você vai gastar com táxi indo de um lugar para o outro, como é o caso do Tarifa de Táxi. Você escolhe a origem e o destino e ele te mostra uma estimativa dos valores de Táxi Comum, Especial ou Luxo. Veja se perto de onde você está ou precisa ir há uma estação de trem. Você vai economizar muito mesmo (além de ser bem mais rápido do que ir de táxi). Pesquise também sobre as linhas de ônibus do local e os horários.

Curta a página do blog e fique ligado que logo postaremos as outras partes com muito mais dicas!

Beijocas.


Danina

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>